João e Eva

António Olaio

Pintura

CAOS | Casa d’Artes e Ofícios, Viseu
8 de julho de 2017 a 31 de julho de 2017


Duas telas da exposição «Heading West» (Appleton Square, Lisboa, 2015) e 36 desenhos da exposição «Young People Thinking About Each Other – Cabeças em Trânsito» (João Esteves de Oliveira, Lisboa, 2016).
Duas telas de corpos enquadrados sem a cabeça, corpos eventualmente completados por qualquer das cabeças que são os desenhos junto a elas.
Um rapaz e uma rapariga face-a-face, porque assim estão as paredes onde as telas são colocadas.
João e Eva, quase como no início do mundo (pelo menos para os olhos da nossa espécie). Cada um com cabeças intermutáveis em identidades que se desdobram.
Processo de multiplicação de identidades, ou tentativa para reverter o curso do tempo?

António Olaio,
Coimbra, 24 de junho de 2017


António Olaio, nasceu em 1963, em Sá da Bandeira, Angola e vive em Coimbra.
Licenciado em Artes Plásticas/Pintura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, em 1987. É professor no Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, tendo apresentado, em 2000, dissertação de doutoramento, construída a partir da obra de Marcel Duchamp.
Director do Colégio das Artes da UC. Investigador do Centro de Estudos Sociais.


Expõe individualmente e colectivamente desde 1982, tendo já realizado numerosas exposições individuais e colectivas em diversas galerias e espaços de referência no panorama das Artes em Portugal e no estrangeiro.
Está representado em várias colecções institucionais e particulares.
Além das exposições, realizou várias performances.

Na Escola Superior de Belas Artes do Porto, fundou o Grupo Missionário, com António Melo, Nuno Santacruz, Pedro Tudela, Lúcia Viana e Alzira Relvas.
De 1996 a 1997 dirigiu a Galeria dos Milagres, em Coimbra.

Em 1987 organizou, com Egídio Álvaro, Pedro Oliveira, e Fátima Carvalho, O ângulo recto ferve a 90º, I Festival Internacional de Performance do Porto.
Foi vocalista e letrista do grupo Repórter Estrábico com o qual editou o álbum Uno dos.
Editou o vídeo Post-Nuclear Country apresentado na galeria Monumental, 1994.
Actualmente tem um projecto com o músico João Taborda (António Olaio & João Taborda) do qual editaram o CD Loud Cloud pela Lux Records de Coimbra, 1996, o CD Sit on my soul, pela editora Nortesul, Março de 2000 e o CD Blaupunkt Blues pela Lux Records de Coimbra, 2007.
A partir das canções de Loud Cloud e Sit on my soul, realizou uma série de vídeos que tem integrado as mais recentes exposições em que tem participado.
Menção especial do júri do Prémio Acarte/Madalena Azeredo Perdigão, 1996 (pelos espectáculos de música/performance Loud Cloud, com João Taborda).
Prémio de escultura Repsol com os arquitectos Desirée Pedro e Carlos Antunes com a escultura para a estação de serviço de Penafiel. Prémio de Escultura Miguel Torga atribuído pela Câmara Municipal de Coimbra, com o projecto para Memorial Miguel Torga, em co-autoria com o arquitecto José António Bandeirinha.

+info: http://www.antonioolaio.com



Escrever um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *