o fio que te prende

O trabalho que tenho vindo a desenvolver é fruto de uma longa pesquisa pessoal precipitada pelo falecimento da minha avó materna, e desenvolve-se a partir do conceito da memória, da redescoberta de laços familiares, em especial com os antepassados. Algumas obras reflectem hábitos e vivências próprias da ruralidade, explorando a relação das pessoas com os objectos e o seu meio, contrapondo o actual despojamento numa cultura de carácter consumista e à gradual perda de identidade (pelo afastamento das nossas raízes progressivamente diluídas na memória colectiva). … Continuar a lero fio que te prende

o Diabo anda à solta

“O olhar sempre atento e irónico de Joanna Latka propõe-nos, nesta sua exposição, uma reflexão sobre algumas catástrofes extremas, perenes na nossa memória colectiva, que provocaram perdas de vida e de património, e que deveriam constituir um instrumento para uma consciência global do papel de cada um, indivíduos, instituições, Estado, neste complexo Mundo que é o nosso. Água e fogo nos seus mais intensos cromatismos, figuras numa simbiose entre a fábula e a sátira, o Eu e o Outro, Deus e o Diabo, são elementos que nos poderão permitir descobrir se chegámos a um ponto de ruptura com a Natureza connosco mesmo, enquanto espécie.”
Ana Matos, 2018. … Continuar a lero Diabo anda à solta

Cartografias da Memória

Exposição Individual de Paula Magalhães.
Artista visual natural de Viseu desenvolve trabalho na área da imagem, escultura/instalação e impressão de múltiplos. Dedicou os últimos anos à investigação de processos antigos de fotografia e a sua obra explora o equilíbrio entre a razão e a emoção, trabalhando conceitos como o tempo, a memória e a perda dela. … Continuar a lerCartografias da Memória

Rapaz Capaz

Gonçalo Pena (n. 1967) vive e trabalha em Lisboa.
Formado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa.
Trabalhou vários anos em ilustração na imprensa portuguesa (Independente, Publico, Ler, Egoísta), e atualmente dedica-se à pintura, vídeo e fotografia, sendo representado pela Gal. Graça Brandão, em Lisboa. … Continuar a lerRapaz Capaz

Qualquer Coisa Contrária à Natureza

“São exercícios sobre camadas opacas que se deixam revelar pela intensidade das pancadas do instrumento furador. Existe claramente uma violência associada no acto de furar o papel, que passa despercebido pela camuflagem do desenho.” … Continuar a lerQualquer Coisa Contrária à Natureza